Home

É oficial. O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) tornou pública a sua decisão de manter o FC Porto na Taça da Liga para agrado de alguns e surpresa de poucos. De acordo com o comunicado oficial, o tão falado dolo não foi passível de ser comprovado “pelo menos com o exigível grau de convicção” e os dados ficam assim lançados para que mais nenhuma equipa cumpra os horários estabelecidos para os jogos. Porque o futebol português é muito jogado nos bastidores e, na pior das hipóteses, lá se fará o sacrifício de pagar uma multa de 383 euros.

Isso mesmo, 383 euros. Qualquer coisa como cerca de 110 euros por cada um dos 3,5 minutos de atraso do FC Porto à entrada para o jogo com o Marítimo. “Há trinta anos a bater palmas”, diria Alberto do Rosário numa sábia crónica escrita no jornal Record no passado dia 17 de Fevereiro, “há trinta anos que os grandes de Lisboa, a Federação, a Liga e os árbitros batem palmas ao FC Porto, felizes e reverentes a um senhor a quem os deslumbrados queriam imitar, os carreiristas vergavam a coluna e umas viagenzitas e afins afagavam outros”. E não podia ter mais razão.

Trinta anos de controlo total dos destinos do futebol nacional instituído às claras bem à frente de todas as instituições clubísticas, meios de comunicação e adeptos do futebol. Uma influência que tem o seu primeiro rosto nas arbitragens escandalosas que envergonham o nosso futebol e que valeram ao FC Porto 21 campeonatos nas últimas três décadas, mas que vai muito para além das quatro linhas de um relvado, numa teia de abrangência que cobre todos os órgãos de soberania do nosso futebol. Por este motivo o escândalo do Apito Dourado resultou apenas numa punição de 6 pontos numa altura em que o campeonato já estava decidido e por esta mesma razão este novo Caso do Atraso culminou com a dolorosa pena de 383 euros.

Mas tenhamos calma, as escutas onde se podia ouvir Pinto da Costa na primeira pessoa a oferecer fruta e outros bens de primeira necessidade a árbitros e outras personalidades não contam como prova, logo mesmo que toda a gente tenha conhecimento da honestidade do Presidente do FC Porto nada pode ser feito para lhe conceder o merecido louvor. Alguns anos mais tarde o velho hábito volta ao fazer das suas e, porque no FC Porto não há “anjinhos” e os “anjinhos” somos todos nós, o sistema instituído volta a cumprir a tradicional rotina e o clube nortenho sai impune de mais um episódio bem jogado em primeira instância no relvado do Dragão e concluído na quente ternura dos bastidores, bem entre amigos, como mandam as regras.

E entre amigos se fez também o caricato comunicado do CD da FPF. No extenso acórdão lê-se que “não se pode concluir, pelo menos com o exigível grau de convicção, que o FCP tenha pretendido prejudicar o SCP simplesmente porque chegou atrasado” e que “não foi comprovada a intenção do FC Porto em causar prejuízos ao SCP com o atraso na apresentação ao início da partida, nem sequer na sua forma mais simples, a do dolo eventual”, mas na verdade a questão em causa é bem distinta da apresentada. O CD da FPF alegou com estas palavras que a razão pela qual o FC Porto não foi punido com a derrota no referido jogo reside no facto de não ter sido provada a intenção de prejudicar o Sporting com o atraso, quando o que deveria ser aqui julgado seria apenas a intencionalidade deliberada do clube azul e branco de chegar atrasado ao relvado.

Os jogos daquela fatídica noite foram marcados à mesma hora por algum motivo e o facto é que essa premissa não foi respeitada por um dos quatro clubes em causa. O incumprimento das regras tem que ser punido de forma exemplar e não o sendo abre um precedente para que situações semelhantes se repitam consequentemente, sob a pena de na próxima vez haver dois ou três Fernandos lesionados e de o atraso ser de 5 ou 10 minutos em vez de 3 e meio. Mas como andamos há trinta anos a bater palmas ao mesmo Deus de um futebol nacional em que contra factos há sempre argumentos, episódios como este acabam sempre com as sentenças a favorecerem o mesmo lado da moeda. O Sporting já anunciou que vai recorrer, mas sejamos realistas: não há recurso que nos valha.

diogo-taborda-desenho-e1360007654750 Diogo Taborda

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s