Home

Eliaquim Hams Mangala. Defesa central do FC Porto, 23 anos de idade, 2 internacionalizações pela seleção francesa, cláusula de rescisão de 50 milhões de euros, protegido pelo super agente Jorge Mendes. Aos olhos dos nossos jornais desportivos, um dos melhores e mais promissores defensores do futebol mundial da atualidade, com mercado em gigantes como Manchester United, Manchester City, Chelsea, Barcelona e PSG que lutam entre si, aguerridos, pela sua contratação. Eu não me deixo embalar por este circo e prefiro classificar Mangala como apenas mais um flop (e dos grandes) do futebol português.

É incrível como os meios de comunicação têm a capacidade de moldar opinião pública sem que esta sequer questione as suas segundas intenções. Mangala é um claro exemplo disso mesmo, com os jornais desportivos a noticiarem quase diariamente o interesse dos mais surreais clubes transmitindo sempre a ideia de que qualquer um dos emblemas estaria disposto a pagar neste exato momento o valor da cláusula de rescisão e mais qualquer coisa se assim fosse necessário só para garantir os serviços do prodigioso central francês.

Tudo isto é fabuloso mas o caro leitor, como espectador atento do fenómeno do futebol, decerto terá a capacidade de desarmar esta enorme armadilha que nos querem vender. Não será de resto tão difícil como possa parecer; basta analisar com atenção alguns jogos do Porto, como este último frente ao Sevilha, para vislumbrar as reais características de Mangala. Um jogador corpulento, agressivo no contacto físico e até capaz de intimidar o adversário apenas pela sua postura em campo, mas fraco na marcação, pior ainda no posicionamento, inseguro com a bola nos pés e duro de rins quando confrontado com avançado mais ou menos habilidoso. É ele o espelho da péssima prestação defensiva daquele clube nortenho na presente temporada, pondo a nu as claras fragilidades que já se tinham evidenciado mesmo no ano em que o Porto foi campeão.

Mas se o cobertor de Mangala é curto de um lado, fica enorme do outro. As suas debilidades técnico-táticas são ocultadas pelos simples factos de jogar no Porto e de ser agenciado por Jorge Mendes. Não fosse isto e Mangala seria lançado pelos nossos jornais para as labaredas da praça pública logo após um ou dois erros daqueles que habitualmente comete e a sua imagem cairia quase instantaneamente na lama, tal como acontece com tantos outros. Assim, continuaremos a ler nas primeiras páginas as mesmas notícias com as mesmas fantasias, porque o futebol é jogado muito para além das quatro linhas.

diogo-taborda-desenho-e1360007654750 Diogo Taborda

Advertisements

2 thoughts on “Um flop chamado Mangala

  1. O post que gostaria de ter escrito. ‘Tá aí tudo o que penso de Mangala, desde há muito tempo. Uma fabricação dos media portugueses. E não é o primeiro…

    Cumps.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s