Home

A entrevista que Jorge Jesus concedeu ao jornal Record, publicada neste fim de semana, é todo um misto de tiras geniais, muitas delas a roçar a alarvidade. Não é de hoje a minha aversão a grande parte das características de Jorge Jesus enquanto treinador e enquanto cidadão e homem – o meu histórico neste blog também não me deixaria mentir.

Jesus não é um homem sério. Ou então – se lhe quero dar um desconto – tenho que assumir que vive num mundo só dele, qual Robinson Crusoé.

Na extensa entrevista, não pode ser ignorada a resposta à questão sobre a escassa aposta em jovens da formação: “JORGE JESUS – Essa é uma ideia completamente errada. Como não aposto? O que é a formação? São os jogadores que só estão no Benfica? Para mim não! Formar é trabalhar jovens, sejam eles portugueses, chineses, brasileiros… Tem 18, 19 anos? É formação. Markovic tinha 18 anos, vendido por 30 milhões; André Gomes, 20 anos, vendido por não sei quantos milhões; Rodrigo, vendido por não sei quantos milhões; Oblak, 20 anos, vendido por não sei quantos milhões. Digam-me um treinador no mundo que faça isto! Isto é formação. Agora se é chinês, português isso não me interessa. Formo jogadores e não nacionalidades”.

Isto é só Jesus a ser Jesus, nada mais. Ele e o seu mundo fictício, no qual é rei, rainha, príncipe e princesa: “Digam-me um treinador no mundo que faça isto!”. Jorge, em todos os mundos que não o teu, és só o bobo.

Oblak só foi aposta porque Artur se lesionou. Não estava preparado, dizia Jesus.

Não tenho sequer palavras para descrever o descaramento com que assume méritos próprios na formação de Jan Oblak. Um miúdo que chegou mesmo a treinar a lateral somente para preencher uma lacuna no treino, qual roupeiro Paulinho no Sporting. Um miúdo que viveu sucessivos empréstimos, crescendo a olhos vistos longe da mão do super-potenciador de Jesus. Longe da vista, longe do coração, Oblak foi sempre para o técnico encarnado mais um de um role inesgotável de emprestados que se vai arrastando até ao fim da sua ligação contratual ao Clube. Só quando o guardião esloveno ameaçou sair para não mais voltar é que Jesus – certamente apertado por pressões – lhe deu uma oportunidade de integrar o plantel. Mas nem sequer sabia que tinha ali um jogador que contava como formado em Portugal. E deixou logo, na pré-temporada, o destino de Oblak na equipa principal dos encarnados traçado: não estava preparado.

O resto da história já todos sabemos. Milagrosamente, Artur lesionou-se. Jesus foi obrigado a apostar no jovem guarda-redes esloveno e este foi, tão somente, peça chave na conquista de três competições e na chegada à final da Liga Europa. Depois de tudo isto, Jesus recolheu os louros que não merecia. E continua a recolher. E continuará a recolher. Na cabeça de Jesus, Oblak foi mais um jogador por si brilhantemente potenciado. Mais um que entra no excelente trabalho de formação que diz fazer.

André Gomes também não foi aposta a sério... e curiosamente jogou mais depois de estar vendido.Também o caso de André Gomes merece ser analisado à lupa. Em duas temporadas na equipa principal encarnada, o jovem português nunca foi uma real aposta de Jorge Jesus. Saiu por uma quantia volumosa? Sim. Mas isso não invalida o que foi dito atrás. Basta recordar que na temporada passada, depois de uma primeira época com altos e baixos, apenas começou a aparecer na fase final, sempre de forma demasiado intermitente. Pode-se dizer que não era fácil tirar lugar aos titulares mas também não era isso que se pedia. A prova provada do que digo foram as próprias palavras de Gomes, já em Valência, onde admitiu a ajuda de Jesus na sua evolução mas lamentou as escassas oportunidades. Hoje sim, André Gomes é aposta séria de um treinador.

O caso mais flagrante e que está à vista de todos é o de Bernardo Silva. Desde a morfologia até ao facto de jogar numa posição que não existe na táctica de Jesus, tudo serve de desculpa para a não aposta num talento que tem tudo para ser do melhor que Portugal viu em largos anos. Acontece que Bernardo tinha espaço, como acontece com todos os bons jogadores. No Monaco, por exemplo, não são raras as vezes que vai jogando descaído sobre a direita. Na entrevista, Jorge Jesus foi claro: um jovem com uma estatura física a roçar o 1,90m já é um homem no futebol, dando os exemplos de André Gomes, Cristante, podendo também falar de Talisca. Obrigado Jorge por mostrares a Maradona, Messi, Iniesta ou Pirlo que nunca serão homens no futebol. Debrucei-me sobre este ponto da entrevista como poderia ter feito sobre outros muito questionáveis. “Enquanto Artur estiver bem os outros vão ter de esperar…”. Sim, Jesus disse isto. “Estou convencido que se um dia o Benfica fosse campeão europeu não levaria 300/400 mil pessoas ao Marquês de Pombal. Só o campeonato leva a isso”. Também disse isto. “Temos uma ideia de jogo e não temos de mudá-la só por causa da Champions”. Sim, tem corrido às mil maravilhas no palco dos grandes…  É por cada vez que abre a boca que Jesus nunca será um treinador que aprecie. É o meu treinador enquanto for o comandante do meu clube. A basófia, a lata, a mentira descarada, o atirar areia para os olhos… Tudo isso não me permite ser um apreciador seu. Mas desejo-lhe sucesso enquanto cá estiver, disso não duvidem.

Não foi surpresa o que os sub-21 fizeram na Holanda.PS: Parece que o país acordou um pouco para a extraordinária fornada de talento que é a nossa selecção sub-21. Não foi por falta de aviso em sites e blogues que se interessam verdadeiramente em informar. Aqui falou-se disso tanta vez. Eu próprio tive as minhas desavenças pela forma quase cega com que defendia estes miúdos. O resultado está à vista, estão a dar razão a quem acreditou neles. Falta o resto, o mais importante, serem apostas em Portugal. Felizmente que vão conseguindo espaço em clubes conceituados da Europa do futebol, algo que há um par de anos era muito difícil para o jovem jogador português. Já agora, acrescento esta informação para que depois não seja surpresa: não se trata de uma geração fantástica, são várias seguidas! Entre os 17 e os 21 anos temos talento para dar e vender, potencial para construir uma geração dourada como talvez nunca se tenha visto em Portugal. Os sub-21 são o que toda a gente agora pode constatar. Os sub-20 estiverem bem no Torneio de Toulon do verão passado, caindo apenas aos pés da vencedora e equipa da casa, a França. Nos sub-19, tivemos dois europeus seguidos brilhantes, com uma meia-final e uma final perdida. E os sub-17, no verão passado, caíram no Europeu da categoria, na meia-final, contra a Inglaterra, num jogo onde dominaram de início ao fim. No próximo verão teremos Europeu de sub-19, Mundial de sub-20 e Europeu de sub-21. Não se surpreendam se alguma destas competições cair para o nosso lado.

GOSTOU DESTE ARTIGO? ENTÃO ENTRE EM https://www.facebook.com/palavrasaoposte, CLIQUE ‘GOSTO’ E ACOMPANHE OS ARTIGOS DIÁRIOS DO PALAVRAS AO POSTE! 

joni_desenho

16 thoughts on “Mas ca’ganda lata!

  1. Realmente, Jorge Jesus tem uma “ganda lata”. Mas… que se pode dizer de um gajo que alcançou toda a notoriedade que alcançou sem ter ido para além do 8º ano de escolaridade, fala inglês de praia e compara o seu futebol com a pintura de Paula Rego?🙂 Ainda se fosse o José Mourinho que fez um curso superior, fala inglês (aprendido na escola), italianês e espanholês, cita Alexandre Dumas…🙂
    Contudo, se virmos bem, cada um tem a sua visão das coisas e de qualquer dos dois podemos dizer que tem uma “ganda lata”. Há, porém, e no meio disto, uma coisa comum entre o “bronco” Jorge Jesus e o “génio” José Mourinho: a capacidade para, de forma histriónica e mesmo narcisista, se exibirem, i.e. colocarem-se em bicos de pés. Se um é visto como uma gajo que tem uma “ganda lata” e o outro é o “génio”, o “special one” (ele próprio assim se apelidou), não será uma questão de mentalidade?🙂

  2. Parece até que não valerá a pena falar nos princípios, na educação, na razão, na justiça, na liberdade, no common sense… Em vez disso parece que o mundo se inverteu, e de pernas para o ar estes trogloditas estes energumenos vivem com o odio todos os dias, morram de cancro filhos da fruta

  3. É triste constatar que mais de 40 anos volvidos a classe dos covardes azuis continua a chafurdar na mesma lama,e a viver da mesma forma parasitária á custa do povo e da Pátria..

  4. As razões e os atores são sempre os mesmos: medo do comunismo, suposta cubanização do país das fraudes , combate à corrupção, mídia avençada , parte da classe média manipulada, setores militares e fanáticos de extrema-direita oportunistas e radicais .,jagunços como este a vomitar sem ser castigados porquê portugal

  5. Uma razão dinamizadora para tanta anormalidade pessoal, política, social e monetaria , etc – que ajude a explicar toda esta miséria, dor e loucura de certos loucos que so vivem da imbecilidade e da mentira sempre contra os outros ..

  6. Benfica desloca-se à Póvoa do Varzim e empata 2-2 na jornada inaugural, com Isidoro Rodrigues de Viseu a fazer uma arbitragem escandalosa, prejudicando o Benfica seriamente. O árbitro apitou para o final do jogo nove minutos depois da hora, depois do Varzim ter empatado, de já ter expulsado os benfiquistas Cabral e Porfírio e também de ter marcado um penálti a favor do Varzim. As aspirações benfiquistas era encurtadas numa época em que muito apostavam (contratações de Simão, Drulovic, Zahovic, Mantorras, etc.). O presidente dos árbitros José Luis Tavares puniria o árbitro com a ‘jarra’.
    O Benfica começava a época condicionado pela arbitragem dentro do que vinha sendo prática na ‘hegemonia portista’, Mantorras foi alvo de marcações cerradas e entradas viris durante todo o jogo. Depois de alguma indignação benfiquista em que se ouve pela primeira vez a frase ‘Deixem jogar o Mantorras’, a imprensa desportiva passou a glosar sobre o tema, algo que viria a eternizá-lo.
    Isidoro Rodrigues fora também o árbitro do Benfica-Boavista (1995-96), em que virou o resultado quase sozinho, expulsando três jogadores do Benfica

  7. A final da Taça de Portugal que opõe FCPorto e União de Leiria fica envolta em polémica fruto da arbitragem de Pedro Henriques. Nas escutas tornadas públicas mais tarde,ouve-se a este respeito Pinto de Sousa – presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) – em conservsa com Pinto da Costa, combinado a nomeação de Pedro Henriques em deprimento de Isidoro Rodrigues. Oo presidente do FC Porto diz a Pinto de Sousa que tem “informação de que o tipo [João Bartolomeu] sabe que está para ser o Isidoro Rodrigues. “[Bartolomeu] Ameaçou não comparecer, que é um escândalo, que tudo não passa de uma encomenda minha.” Pinto de Sousa acalma Pinto da Costa e diz-lhe que assim “mais vale pôr o António Costa que ninguém discute”. Os dois falam ainda das classificações dos árbitros, Pinto da Costa pergunta-lhe se está a tratar disso e o presidente do CA diz que está a tratar disso conjuntamente com o António Henriques, compadre de Pinto da Costa, e vice-presidente do Conselho de Arbitragem

  8. Pinto da Costa disparou: “Senão mais vale pôr o António Costa que ninguém discute”. Depois da primeira sugestão, Pinto da Costa vai mais longe . “Já agora, estais a fazer as classificações?”, pergunta a Pinto de Sousa, ao que o líder da arbitragem responde: “Estamos, eu e o António Henriques, precisamente a ver isso. Estamos aqui a cozinhar um bocadinho essas coisas”

    assim gostas não mafioso azul

  9. LATA TENS TU E LATÃO ESTE !..
    FOI ASSIM QUE SUBIS-TE NA VIDA NÃO AO SER MAFIOSO ..:
    Conversa interceptada pela PJ entre Pinto da Costa e Pinto de Sousa revela que o presidente portista havia assentido com o presidente do CA ser Pedro Proença a arbitrar a final da Supertaça; «É o que a gente tinha combinado.»

  10. A Polícia Judiciária escuta telefonemas entre João Loureiro e Júlio Mouco, Vogal da Comissão de Arbitragem da Liga, combina-se a nomeação dos fiscais de linha para o jogo, José Chilrito e José Espada

  11. branquear os gatunos os corruptos e sina dos covardes :
    Lourenço Pinto, advogado – casado com uma juíza do Tribunal de Gaia – e Presidente da Associação de Futebol do Porto, fala com Pinto da Costa e pede bilhetes para o jogo FC Porto – Manchester para quem ele apelida de «o nosso juíz». O nosso juíz chama-se Manuel Lopes Madeira Pinto.

  12. Lourenço Pinto, advogado – casado com uma juíza do Tribunal de Gaia – e Presidente da Associação de Futebol do Porto, fala com Pinto da Costa e pede bilhetes para o jogo FC Porto – Manchester para quem ele apelida de «o nosso juíz». O nosso juíz chama-se Manuel Lopes Madeira Pinto.

  13. estes sim não tem lata ! são tudo escumalha seria …

    Lourenço Pinto, advogado – casado com uma juíza do Tribunal de Gaia – e Presidente da Associação de Futebol do Porto, fala com Pinto da Costa e pede bilhetes para o jogo FC Porto – Manchester para quem ele apelida de «o nosso juíz». O nosso juíz chama-se Manuel Lopes Madeira Pinto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s