Home

A recente troca de galhardetes entre Jorge Jesus e José Mourinho reforçou a imagem de prepotência e agressividade comunicacional do Special One e reafirmou a basófia suprema e fraqueza do diálogo de JJ.

Desta vez o treinador encarnado meteu-se com quem não devia e ouviu aquilo que há muito merecia. A postura arrogante de quase inventor e génio único do futebol não fica bem a ninguém, muito menos a alguém que ganhou tão pouco e praticamente nada fez em competições de peso como a Champions.

Jesus está no seu direito de se achar melhor do que Mourinho, mas ao dizê-lo publicamente cai no ridículo assim como a razão que evoca para chegar a esta conclusão: “Mourinho tem a felicidade de treinar equipas que proporcionam a vitória na Champions, com jogadores já feitos (muitos trabalhados por mim). Eu transformo jogadores com potencial em melhores do mundo”.

JJ parece esquecer-se que antes de chegar ao patamar de excelência onde se encontra, Mourinho foi bicampeão nacional, vencedor em anos consecutivos da Taça UEFA e Liga dos Campeões entre diversos outros títulos ao serviço de um FC Porto que para estas proezas não investiu nem um décimo daquilo que JJ anualmente dispõe para comprar os tais desconhecidos.

Mourinho dispôs apenas da sua visão de mercado e inteligência tática já q ninguém no seu perfeito juízo diria que os modestos Nuno Valente, Paulo Ferreira, Derlei, Maniche, Pedro Emanuel, Bosingwa, César Peixoto, Pedro Mendes e tantos outros portugueses e estrangeiros provenientes da nossa liga, seriam suficientes para esmagar internamente e conquistar a Europa.

Antes de chegar ao estágio onde se encontra actualmente, o Special One passou pelo processo porque passa Jesus, mas com louvores elevadíssimos, coisa que apesar do investimento estratosférico do Benfica, JJ está longe de ter conseguido.

Se o objectivo é só valorizar jogadores e fazer boas performances na Liga Europa, está tudo perfeito, contudo não acredito que os benfiquistas queiram ficar por aqui. Muito menos quando o treinador enche a boca para dizer que a sua equipa é de Champions – apesar de raramente passar da primeira fase em grupos bastante acessíveis – e muito menos quando a arrogância e a soberba de Jesus já lhe custaram dois campeonatos praticamente ganhos que poderiam dar ao seu Benfica quatro troféus em cinco anos.

Evocar a ignorância de Jesus não foi bonito da parte de Mourinho, mas talvez tenha sido a única forma de ensinar ao treinador um velho ditado: “Quando um burro fala o outro baixa as orelhas.”

Ao tocar na ferida de Jesus – a sua incessante obsessão por se considerar o melhor descobridor de talentos do mundo – Mourinho disse duas verdades que revelam de forma clara aquilo que acontece na Luz.

Di Maria e Javi Garcia alguns dos dispendiosos "desconhecidos" que JJ potenciou

Di Maria e Javi Garcia alguns dos dispendiosos “desconhecidos” que JJ potenciou

1 – O Benfica através do departamento de scouting e do presidente consegue identificar bons jogadores jovens mas mais do que isso consegue ter capacidade financeira para adquiri-los. Aceito que Jesus trabalhe muito bem os jovens talentos mas acredito que trabalha melhor ainda os jovens medianos – Almeidas e Amorins – já que mesmo não possuindo a qualidade dos primeiros, os segundos trabalham e produzem como o resto da orquestra. A prospecção encarnada tem valor mas assim como JJ não é nenhum supra-sumo das descobertas. Encontrar valores como Gaitán, Dí Maria, Ramires ou Ola John é tudo menos difícil quando se tem 9, 7, 7,5 ou 10 milhões de euros para gastar nestes “achados”. Importante é ter bagagem (€) para conseguir convencê-los a rumar à Luz e depois enquadrá-los na realidade da equipa, afinal qualidade há de sobra.

Desconhecidos para mim eram David Luiz que custou dois tostões e vinha de uma 3ª divisão, Fernando que andava perdido no medíocre Vila Nova de Goiás ou Slimani que não sendo nenhuma promessa, fazia furor no exótico campeonato argelino.

Talisca custou 4 milhões de euros e estava pertíssimo de rumar à Udinese, sendo seguido de perto por clubes ingleses e estando entre alguns dos talentos da selecção de esperanças do Brasil. Apesar de desconhecido do adepto pouco informado, é um nome batido entre os amantes do campeonato brasileiro e que naturalmente faz parte das observações dos clubes minimamente bem informados sobre o mercado sul-americano.

Felipe Menezes e Airton, contratações made in PFC de Jorge Jesus

Felipe Menezes e Airton, contratações made in PFC de Jorge Jesus

Jorge Jesus deveria saber que o PFC é um canal mundial e não exclusivo à sua residência, e que as descobertas milagrosas que lá tem feito, só têm dado em flops: Éder Luís, Felipe Menezes, Airton, etc. O mestre da táctica trabalha muito bem jovens craques – de real mais-valia – mas realisticamente não descobre ninguém. É verdade que no quesito “desenvolver jovens futebolistas” Mourinho está longe de Jesus – Special One gosta de contratar atletas mais maduros competitivamente – mas em todos os outros ganha de goleada: títulos, conhecimento tático, liderança, comunicação, gestão de balneário, conhecimento e capacidade de movimentação no mercado.

2 – Apesar do seu enorme talento a trabalhar jovens com potencial – que o próprio adora afirmar – JJ ignora e parece não ter tanta paciência para jovens portugueses, em especial formados no Benfica. Nos últimos anos a academia encarnada tem produzido bons talentos – coisa que há imensos anos não se via – e mesmo assim JJ tem sucessivamente negado oportunidades a estes jovens e principalmente apresenta dificuldades em colocá-los ao nível que todos esperam.

André Gomes, Nélson Oliveira, Cancelo e principalmente Bernardo Silva são exemplos máximos disso.

Mourinho atacou JJ no seu ponto fraco e a afirmação que se segue acaba por coroar uma entrevista que nos faz esperar que Jesus finalmente desça à terra: “Aqueles que dizem que encontram jogadores em Chelas e no Chiado e fazem deles melhores do mundo, que agarrem nestes miúdos e façam deles os grandes craques”.

A forma assassina como Mourinho dizimou o treinador encarnado e como este abrandou o ritmo só demonstra o quanto foi inútil a sua picardia inicial. Veremos se aprendeu alguma coisa.

GOSTOU DESTE ARTIGO? ENTÃO
ENTRE EM https://www.facebook.com/palavrasaoposte, CLIQUE ‘GOSTO’
E ACOMPANHE OS ARTIGOS DIÁRIOS DO PALAVRAS AO POSTE!                     

SONY DSCBruno Gomes

15 thoughts on “Quando um burro fala…

  1. Não concordo nada. Aqui quem teve a postura mais arrogante foi sem dúvida o Mourinho e ao contrário do normal, o JJ até respondeu bastante bem. Normalmente é um burro e inconveniente a falar, mas desta vez respondeu muito bem e acabou com a palhaçada que o outro tanto gosta

  2. A “dificuldade” que JJ teve em transformar André Gomes foi notória. 😛
    Deu-lhe confiança e apostou nele para uma das posições mais complexas na sua estratégia, tendo-o valorizado muitíssimo. Enfim… Já Nelson Oliveira, esse portento em que Jesus não aposta, nunca foi capaz de singrar em lado nenhum. Talvez o problema seja a falta de humildade do atleta, não?

    • André Gomes saiu do Benfica longe de ser um indiscutível e vendido num negócio para lá de duvidoso.. Nelson Oliveira deveria ser mais humilde, mas tbm merecia ter mais chances que os Jaras da vida.
      Obrigado pela leitura e opinião.

  3. Existem várias premissas erradas que servem de base para umas conclusões bem deturpadas:
    1- Onde é que Jesus disse que era melhor que Mourinho?
    2-O Benfica de Jesus gastou 10 vezes mais do que o porto de Mourinho desde quando??? Só como exemplo dessa grande inverdade basta pegar no exemplo do Alenitchev que era o suplente mais caro do mundo! O salário mais alto em Portugal por larga margem….
    3- O Andre Gomes é um exemplo de não apostar em jogadores portugueses? piada ou um erro no nome?
    O andre Almeira também não é aposta, já agora?
    4-Mourinho “gosta” de contratar jogadores mais maduros competitivamente? A sério que se consegue escrever isto sem um LOL a seguir? Qualquer treinador gosta, poucos podem fazê-lo….

  4. Esqueceu.se foi de mencionar que internamente Mourinho esmagou mas contou com a ajuda preciosa do Café com leite e da Fruta…casos mais que provados e que toda a gente pode ouvir nas escutas e provas apresentadas. Só descansando a nível interno e que se pode ambicionar ganhar alguma coisa la fora…e portanto so o apito dourado permitiu que isso acontecesse.

    Não esta em causa a qualidade do Moutinho…mas se ele não tivesse a papinha feita (com fruta) no campeonato nacional, não teria os jogadores tao fresquinhos para os jogos europeus.

    Foram dois anos muito bem planeados pela estrutura dos corruptos. Que ficam nos anéis da historia do futebol português, pelas melhores razoes (títulos europeus) e pelas piores razões com o desvirtuar completo da verdade desportiva a nível nacional (provado e com penas compridas pelos corruptos).

    A verdade deveria fazer parte destes textos, e não se omitir cada vez que se fala desses anos, o que realmente se passou e que toda as pessoas leram e ouviram.

    Pedro Vitória

  5. Li o primeiro paragrafo e desci a página só para confirmar que o autor do texto eras tu… não me enganei!
    Não passas de um aziado, gostava de ler algo teu sobre o Bruno de Carvalho e a figura de urso que ele anda a fazer semanalmente na SportingTV… não enganas ninguém.

  6. Primeiro de tudo JJ não se dirigiu a ninguém em particular quando comentou acerca do Talisca. Segundo, o Mourinho não ganha nada à 2 anos, sendo que nos últimos 4 só ganhou 2 provas de duração longa (Campeonato espanhol e Taça do Rei), tendo orçamentos estratosféricos. Terceiro, o Mourinho é um tipo sem qualquer nível como ficou provado na situação da camisola do Rui Jorge, da situação com o falecido ex-treinador do Barcelona, no início da estadia em Inglaterra com o Alex Ferguson e ainda podia continuar. Quarto, o Mourinho ganhou o que ganhou na Europa com o FCP, devido ao que já sabemos e está muito bem documentado no Youtube, mesmo assim ainda perdeu a taça de Portugal num jogo hiper violento dos jogadores da equipa dele e ainda se queixou do árbitro no fim.

    Isto de falar bem e parecer que se tem a razão não passa disso mesmo, porque os actos valem mais que mil palavras e os actos do JM já demonstraram ao longo dos tempos o que ele vale como pessoa.

    Quanto ao JJ, como não se sabe exprimir levou por tabela. Mas no remate final esteve num nível infinitamente superior ao “licenciado” em lingua portuguesa.

    Mas vamos esperar pelo confronto com o Sporting para vermos de novo o nível do JM…

  7. O teu ponto 2 é um total absurdo por partir de pressupostos improvados.

    E depois como terminas com um “A forma assassina como Mourinho dizimou o treinador encarnado” tornas todo o texto ridículo, mesmo que tivesses razão.

    Obrigado por nada! Pensei mesmo que vinha ler uma opinião esclarecida sobre o tema!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s