Home

Escrevo antes do Portugal – EUA e não faço a mínima ideia de quanto será o resultado. Contudo aconteça o que acontecer, isso não me impede de ter uma certeza: a culpa é do Patrício.

Se ganharmos a culpa é do Patrício que felizmente se lesionou e deu lugar a outro, se perdermos a culpa deve ser do Patrício que nos deitou abaixo no primeiro jogo condicionando todo o torneio ou algo do género. Isto demonstra algumas evidências:

– Rui Patrício é claramente um mal-amado pela comunicação social portuguesa – como há uns meses tratei de evidenciar: https://palavrasaoposte.wordpress.com/2013/11/25/patinho-feio/

Na imprensa nacional há dois critérios, duas medidas, na análise do trabalho de jogadores e treinadores. Os amigos e protegidos mesmo quando falham são heróis desprotegidos por “medíocres” como Patrício. Apesar da exibição insegura e com culpas claras no 4º golo, Portugal não perdeu por culpa do seu guarda-redes. Perdeu por todos – que estiveram mal demais – desde os que entraram em campo ao incapaz Paulo Bento com as suas escolhas para lá de duvidosas.

Se analisarmos o jogo contra a Alemanha com precisão algumas coisas saltam à vista:

– João Pereira foi uma avenida para os ataques germânicos, a atacar foi uma nulidade e cometeu um penalti patético;

– O agressivo Bruno Alves foi uma flor ao oferecer o 3º golo a Muller e ao deixar Hummels sozinho no 2º;

O estapafúrdio comportamento de Pepe que apesar de condenável passou totalmente impune pelos responsáveis federativos

O estapafúrdio comportamento de Pepe que apesar de condenável passou totalmente impune pelos responsáveis federativos

– Pepe, central do Real Madrid de 30 anos e vencedor recente da Liga dos Campeões com a sua atitude de miúdo mal criado das distritais matou a equipa, já depois de ter oferecido com Alves o segundo golo aos alemães – em vez de severamente castigado viu a FPF clamar pela sua a “inocência” – uma prova de que o crime em Portugal compensa;

– Moutinho e Meireles foram duas nulidades no miolo: lentos, macios, péssimos com bola e sem força na recuperação do esférico. Em termos técnicos são jogadores razoáveis e a má forma física de ambos destrói as suas principais qualidades: pulmão, agressividade e capacidade física na ocupação de espaços;

– Ronaldo com claras debilidades físicas e Nani sem ritmo de jogo, passaram ao lado do jogo;

Em suma todos foram um desastre mas nós resolvemos atirar-nos ao árbitro e crucificar Patrício. Nada que me espante, afinal foram raras as vozes da imprensa que criticaram a nossa péssima fase de qualificação, a convocatória tendenciosa – repleta de lesionados – e a absurda renovação de contrato – antes do Mundial – com Paulo Bento. As mesmas vozes que tanto elogiavam o trabalho de Carlos Queiroz e atacavam o mal-amado Scolari – o seleccionador com melhores resultados de sempre em Portugal e que, para azar próprio, nasceu no Brasil.

Rui Patrício não é guarda-redes dos clubes encarnados de Jorge Mendes – tão amados pela nossa imprensa – nem dos reis azuis do sistema. Infelizmente para ele veste de verde e as últimas décadas têm demonstrado que isso é muito prejudicial à afirmação na selecção nacional.

É muito difícil a um jogador em destaque no Sporting ser convocado e ganhar a titularidade na selecção nacional. Habitualmente seleccionada com base em interesses dos quais o clube de Alvalade não faz parte, acaba por ser incomum ver um homem de verde e branco no onze das quinas.

Na década de 80, por exemplo, Manuel Fernandes brilhava ao lado de Rui Jordão no Sporting mas era constantemente ignorado pela selecção nacional. Chegou a perder o Euro 84 numa convocatória repleta de azul e vermelho e onde viu o seu nome riscado para entrar o banal Vermelhinho. No Mundial de 86, após uma época em que foi o rei dos golos em Portugal – 36 tentos que bateram largamente a concorrência – Manel dos Sarilhos foi ignorado numa convocatória repleta de médios lendários como os galácticos Ribeiro ou José António.

Nesse mesmo Mundial, Manuel Bento facturou a perna e o malogrado Vítor Damas assumiu a baliza. Portugal acabou eliminado e as exibições de Damas – lenda leonina – foram consideradas à época – de forma totalmente injustificável – como culpadas da queda portuguesa. Na competição mexicana, os jogadores lusitanos estavam em geral, mais preocupados com questões financeiras e festas com prostitutas mas a imprensa lembrou-se de atacar um dos poucos símbolos sportinguistas presentes na competição.

No último Mundial Rui Patrício, titularíssimo e em grande forma no Sporting, ficou de fora do Mundial para que Beto (suplente de Helton no Porto) e Daniel Fernandes (até hoje ninguém sabe quem é) viajassem até à África do Sul. Moutinho capitão leonino e presença assídua na convocatória foi completamente ignorado por Carlos Queiroz. Quando Nani se lesionou, o professor decidiu reforçar o miolo e em vez de chamar o habitual convocado, lembrou-se de Ruben Amorim (reserva de Ramires no Benfica). O Mundial passou e logo de seguida Moutinho regressou. Uma história com outros contornos que já contamos aqui: https://palavrasaoposte.wordpress.com/2013/05/13/pomar-podre/

Claramente a dupla de médios em melhor forma  ao longo da temporada. Apenas William foi chamado por Paulo Bento.

Claramente a dupla de médios em melhor forma ao longo da temporada. Apenas William foi chamado por Paulo Bento.

Esta temporada Cédric, Adrien, Patrício e William estiveram em óptimo plano e mereciam além da convocatória, minutos de jogo. Estranhamente ou não, apenas os dois últimos foram chamados. Reservas de equipas rivais como Amorim e André Almeida e jogadores sem ritmo de jogo como Miguel Veloso (o conflito na Crimeia parou o campeonato ucraniano) e em péssima forma física e técnica como Meireles, Postiga e João Pereira foram as opções nacionais.

A queda por este tipo de escolhas só reflecte uma coisa: com excepção da Era Scolari, é muito difícil para um atleta do Sporting chegar à selecção nacional e impor-se nas escolhas do treinador. Assim que isso acontece, a crítica “especializada” não perdoa o mínimo deslize e destrói o atleta leonino enquanto protege os seus filhos pródigos. Aos jogadores de Porto, Braga e Benfica basta jogarem, até sem grande destaque, que rapidamente são lembrados: veja-se os casos de Licá, Josué ou Ivan Cavaleiro.

O caso de William Carvalho é assustador. Tem um talento incrível, está em grande forma e tem um rival de posição em terríveis condições físicas e sem ritmo de jogo que mesmo assim é indiscutível. Quando tudo parece conspirar para que o jovem leão jogue, ele continua no banco.

Enquanto isso os erros de João Pereira, Bruno Alves, Pepe e outras criaturas amadas pela crítica nacional vão sendo ignorados pela comunicação social e vamos descobrindo que não fosse por Patrício seriamos campeões mundiais. Foi isso que aprendi depois de ouvir este sábio relato. 

Não ouvi críticas ao lateral direito no lance da grande penalidade, não ouvi o nome de Pepe no segundo tento e muito menos o de Bruno Alves no 2º e 3º. O único crucificado foi Patrício no lance em que falhou (4º golo) e até em lances que não lhe dizem respeito, como o 2º golo alemão.

Que de uma vez por todas se dê espaço a quem está em condições de jogar, se finte as apostas de empresários (e clubes específicos) e Portugal engrene para resultados que esta convocatória e fio de jogo não merecem mas o povo necessita.

GOSTOU DESTE ARTIGO? ENTÃO
ENTRE EM https://www.facebook.com/palavrasaoposte, CLIQUE ‘GOSTO’
ACOMPANHE OS ARTIGOS DIÁRIOS DO PALAVRAS AO POSTE!                     

SONY DSCBruno Gomes

Anúncios

15 thoughts on “A culpa é do Patrício!

  1. Quando fumares mete menos cenas e mais tabaco…
    É por isto que Portugal não passa do país que é !!
    A quem escreveu isto, que evolua como pessoa!
    Quando fores melhor que algum jogador aparece na selecção e ai já falamos !

  2. acho uma abordagem muito mas muito parcial mesmo, cm criticas corretas e outras infundadas, todos jogam mal excepto os do Sporting?A defesa é toda horrível? O meio campo desgraçado? Vê o jogo novamente e diz me se é penalty sobre o gotze, discordo imensamente do vermelho e condeno gravemente os insultos que faz a Pepe, falar mal é muito fácil, das escolhas, da tática dos jogadores apoiá-los e tentar motivá-los criar uma nova dinâmica de equipa isso agora é pós outros eu apenas vou dizer mal porque é facil e há sempre os críticos que me apoiaram, uma palhaçada isto mas é só a minha opinião e como disse criticar é fácil, mas vendo do seu ponto de vista é uma atitude muito justificada e completamente legítima

  3. Pelo amor de Deus apoiarem o Pepe depois da estupidez que ele fez só demonstra porque o país não evolui ai sim concordo ele não tem justificação nenhuma para fazer aquilo mesmo achando o vermelho exagerado amarelo aos dois e acabava a birra o patrício culpas só no quarto golo e aí já estava perdido à muito.É verdade sim que um ou outro não tinha forma nenhuma e as condições do clima lá ainda pioraram alguns com lesões. metam vocês menos erva cegos.

  4. em parte concordo, mas falar ue so tem jogadores de vermelho e azul, sendo que andre almeida e ruben amorim do lado do benfica e patricio e william do lado do sporting, apenas esses, perdemos ambos os jogos por incompetência do treinador. nao tem nada a haver com cores clubisticas pelo menos do lado a, b, ou c, simpesmente o treinador parou no tempo e usou sempre os mesmos jogaadores, e tambem do mesmo empresario, nesse caso estas correto em apenas isso, abraço

  5. Campanha contra o Rui Patrício? Clubes encarnados do Jorge Mendes? Sabias que os únicos jogadores do Sporting convocados são do JM e os únicos do Benfica não o são?

  6. AHAHAHA isto é um artigo 200% sportinguista…. Começas por falar no pessoal que critica o Patricío, mas acabas criticando os jogadores todos, menos os que vestem verde….. 🙂 É verdade que o William está em grande forma, e não sendo Sportinguista, sei admitir isso e era uma optima opção para o meio campo, agora entre Patrício e Beto, Beto sem dúvida.

  7. concordo absolutamente com a tua análise bruno gomes, ainda bem que alguém, tem a mesma opinião do que eu, que estes comentadores são muito fracos, só querem criticar os jogadores do sporting, e o pénalty infantil do joão pereira em que deixa que gotze ganhe lhe a frente, e a atitude infantil de pepe, que fez que ficássemos reduzidos a 10 jogadores, e o 2º golo em que hummels antecipa-se a pepe e bruno alves (dois jogadores fortíssimos no jogo aéreo e em duelos físicos ) que ficam apáticos e colados ao chão a ver hummels cabecear, o corte defeituoso de bruno alvees no 3º golo para os pés de muller, e no 4º golo, o andré almeida sai todo louco á bola deixando um espaço nas costas para schurrle aparecer ter tempo para dominar a bola, levantar a cabeça , olhar para a área e cololcar a bolatensa e rasteira, bola muito complicada para um guarda redes agarrar ou defender para o lado, e bruno alves em vez de antecipar se a muller mais uma vez e limpar a bola da área fica estático a ver muller a colocar a bola dentro da baliza

  8. Excelente post, concordo em absoluto, não se trata de os jogadores do Sporting jogarem melhor ou não, falharem ou não. Todos falham a verdade é que os jogadores leoninos são habitualmente preteridos. Lembro-me de nos anos 90 termos um defesa direito de seu nome Nelson que jogava como poucos, mas a opção na selecção era o Secretário… o Adrien foi um dos melhores médios do campeonato, o William Carvalho foi o outro, curiosamente jogam lado a lado o meio campo estaria feito, mas não foi o colossal Ruben Amorim… que esteve quase sempre no banco…

  9. Rui Patricio sem duvida o melhor do mundo! Vamos lá ver as coisas tal e qual como elas são. O Rui, por muito credivel que seja no campeonato portugues, esta época, jogou quase meia época em relação a todos os selecionados pelo selecionador português, não falo de Postiga, Nani e etc, mas como é possivel um guarda redes que tantos minutos a menos tem em relação a outros se lesiona assim, logo no primeiro golo, como é possivel sofrer os golos que sofre, a credibilidade que dá perante a ofensiva adversária, o Rui, se não sai o mais rapidamente possivel do Sporting, é um jogador que vai passar ao lado de uma carreira desportiva grandiosa, pois ele tem o potencial, mas aqui em Portugal continua a ser o medrioce e por mais anos que aqui ficar, será a besta extraordinaria das defesas mediocres, por isso meus amigos, ou o Rui sai, ou então Adeus “futuro e quase sempre assegurado guarda-redes da seleção nacional”.

  10. Até concordo com as criticas feitas a todos os jogadores da seleçao.
    E é realmente um escandalo W. Carvalho não jogar a titular.
    Agora a teoria da conspiração contra o Sporting é infundada.
    Os jogadores do Sporting não têm ritmo Europeu, só jogam campeonato, logo a estaleca não pode ser a mesma.
    E Patricio demonstrou isso.
    Quiseram fazer dele mais do que ele é, e só foi titular porque é o menino do Bento.
    Beto é um bom guarda redes e teve uma época de alto nivel, pode não ser um iluminado, mas foi titular e esteve na Europa era a escolha lógica.
    Patricio só joga por ser do Sporting e pessoalmente acho que não tem o que é preciso para ser guarda-redes de seleção.
    Prova-o o ainda estar no Sporting actualmente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s